305-3 (GRI )

  • Emissões biogênicas de CO₂ (escopo 3)

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Indicador 2019
      1 Emissões biogênicas de CO₂ (escopo 3), em t de CO₂ equivalente¹ 30.489,47

    1. O indicador contempla os seguintes gases: dióxido de carbono (CO₂), metano (CH₄), óxido nitroso (N₂O), hidrofluocarbonetos (HFCs) e perfluorcarbonetos (PFCs).

    Informações complementares:

    Foram utilizadas as seguintes referências de fatores de emissões: FGV (2019), IPCC (2007), MCTIC (2016) e MMA (2014). As emissões de cada GEE foram convertidas em tCO₂e pela multiplicação por seu respectivo potencial de aquecimento global, ou Global Warming Potential (GWP – IPCC, 2007; FGV, 2019; WRI & WBCSD, 2017).

    A seleção das metodologias de quantificação, coleta de dados e uso de fatores de emissões foi feita com base nas recomendações da norma ABNT NBR ISO 14064-1 (ABNT, 2007). Além disso, foram utilizados como referência os seguintes documentos para a elaboração do inventário de GEEs da empresa:

     

    • The Greenhouse Gas Protocol: a Corporate Accounting and Reporting Standard, WRI & WBCSD (2004);
    • guias, orientações e ferramentas de cálculo do Programa Brasileiro GHG Protocol (PBGHGP) da FGV (2020);
    • 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, IPCC (2006);
    • Calculation Tools for Estimating Greenhouse Gas Emissions from Pulp and Paper Mills, NCASI (2005).

     

    Conforme os princípios para a realização de inventários de GEEs, foram utilizados, sempre que possível, dados de medições e fatores de emissões mais próximos da realidade local.

    As emissões de transporte e distribuição (tanto de insumo quanto de produtos acabados) são as mais representativas entre as outras emissões indiretas da Suzano (escopo 3). Dessas emissões, o transporte de porto a porto, somado ao transporte do porto ao cliente dos produtos exportados, representa cerca de 28%. As emissões de bens e serviços comprados (principalmente por operações terceirizadas) e as emissões por tratamento de resíduos também são significativas.

  • Outras emissões indiretas de gases de efeito estufa (escopo 3) por unidade

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Outras emissões indiretas de gases de efeito estufa (escopo 3) por unidade, em t de CO₂ equivalente¹ 2019
      1 Escritórios (Central e internacionais) 1.036.603,62
      2 FuturaGene 37,39
      3 Stenfar e SPP (CDLs) 7.414,03
      4 Terminais portuários 2.166,61
      5 Unidades Florestais 162.797,70
      6 UNI Aracruz 1.575,37
      7 UNI Facepa – Belém e Fortaleza 1.619,35
      8 UNI Imperatriz 8.981,21
      9 UNI Jacareí 20.904,82
      10 UNI Limeira 14.833,42
      11 UNI Mucuri 44.501,93
      12 UNI Rio Verde 1.272,54
      13 UNI Suzano 26.031,55
      14 UNI Três Lagoas 182.622,23
      15 Total 1.511.361,76

    1. O indicador contempla os seguintes gases: dióxido de carbono (CO₂), metano (CH₄), óxido nitroso (N₂O), hidrofluocarbonetos (HFCs) e perfluorcarbonetos (PFCs).

    Informações complementares:

    Foram utilizadas as seguintes referências de fatores de emissões: FGV (2019); IPCC (2007); MCTIC (2016); MMA (2014). As emissões de cada GEE foram convertidas em tCO₂e pela multiplicação por seu respectivo potencial de aquecimento global, ou Global Warming Potential (GWP – IPCC, 2007; FGV, 2019; WRI & WBCSD, 2017).

    A seleção das metodologias de quantificação, coleta de dados e uso de fatores de emissões foi feita com base nas recomendações da norma ABNT NBR ISO 14064-1 (ABNT, 2007). Além disso, foram utilizados como referência os seguintes documentos para a elaboração do inventário de GEEs da empresa:

     

    • The Greenhouse Gas Protocol: a Corporate Accounting and Reporting Standard, WRI & WBCSD (2004);
    • guias, orientações e ferramentas de cálculo do Programa Brasileiro GHG Protocol (PBGHGP) da FGV (2020);
    • 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, IPCC (2006);
    • Calculation Tools for Estimating Greenhouse Gas Emissions from Pulp and Paper Mills, NCASI (2005).

     

    Conforme os princípios para a realização de inventários de GEEs, foram utilizados, sempre que possível, dados de medições e fatores de emissões mais próximos da realidade local.

    As emissões de transporte e distribuição (tanto de insumo quanto de produtos acabados) são as mais representativas entre as outras emissões indiretas da Suzano (escopo 3). Dessas emissões, o transporte de porto a porto, somado ao transporte do porto ao cliente dos produtos exportados, que estão descritas na categoria Escritórios (Central e Internacionais), representam 28% (totalizando  1.031.345,99 tonCO2eq). As emissões de bens e serviços comprados (principalmente por operações terceirizadas) e as emissões por tratamento de resíduos também são significativas.