ODS-07
Energias renováveis

Garantir acesso à energia barata, confiável, sustentável e renovável para todos

  • Consumo de combustíveis de fontes renováveis

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Consumo de combustíveis de fontes renováveis, em GJ 2019
      1 Álcool etílico anidro 29.525,42
      2 Álcool etílico hidratado 13.322,39
      3 Biodiesel (B100) 374.125,50
      4 Biomassa 40.724.267,72
      5 Licor negro (lixívia) 172.730.784,12
      6 Metanol renovável 2.649.592,23
      7 Total 216.521.617,38

    Informações complementares:

    Os dados de consumo de combustíveis – levantados pela Suzano de forma majoritariamente automatizada – foram convertidos em consumo energético a partir da densidade básica e do poder calorífico inferiores de cada combustível. Nesse sentido, quando disponíveis, foram utilizados os dados contidos na própria ficha de especificações técnicas do combustível utilizado. Quando não disponíveis, foram utilizados os valores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (MME, 2019).

  • Emissões indiretas de gases de efeito estufa (escopo 2) por unidade

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Emissões indiretas de gases de efeito estufa (escopo 2) provenientes da aquisição de energia por unidade, em t de CO₂ equivalente¹ 2019
      1 Escritórios (Central e internacionais) 58,44
      2 FuturaGene 1,52
      3 Stenfar e SPP (CDLs) 250,51
      4 Terminais portuários 166,44
      5 Unidades Florestais 75,78
      6 UNI Aracruz 3.661,91
      7 UNI Facepa – Belém e Fortaleza 2.532,78
      8 UNI Imperatriz 3.214,56
      9 UNI Jacareí 5.940,55
      10 UNI Limeira 24.985,97

    1. O indicador contempla os seguintes gases: dióxido de carbono (CO₂), metano (CH₄) e óxido nitroso.

    Informações complementares:

    Foram utilizadas as seguintes referências de fatores de emissões: FGV (2019), IPCC (2007), MCTIC (2016) e MMA (2014). As emissões de cada GEE foram convertidas em tCO₂e pela multiplicação por seu respectivo potencial de aquecimento global, ou Global Warming Potential (GWP – IPCC, 2007; FGV, 2019; WRI & WBCSD, 2017).

    A seleção das metodologias de quantificação, coleta de dados e uso de fatores de emissões foi feita com base nas recomendações da norma ABNT NBR ISO 14064-1 (ABNT, 2007). Além disso, foram utilizados como referência os seguintes documentos para a elaboração do inventário de GEEs da empresa:

    • The Greenhouse Gas Protocol: a Corporate Accounting and Reporting Standard, WRI & WBCSD (2004);
    • guias, orientações e ferramentas de cálculo do Programa Brasileiro GHG Protocol (PBGHGP) da FGV (2020);
    • 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, IPCC (2006);
    • Calculation Tools for Estimating Greenhouse Gas Emissions from Pulp and Paper Mills, NCASI (2005).

    Conforme os princípios para a realização de inventários de GEEs, foram utilizados, sempre que possível, dados de medições e fatores de emissões mais próximos da realidade local.

    As emissões indiretas por aquisição de energia (escopo 2) da Suzano ocorrem em razão da compra de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional. Essas emissões são mais representativas nas unidades industriais, principalmente para as máquinas de papel, que demandam abastecimento contínuo de eletricidade.

  • Energia consumida

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Energia consumida, em GJ 2019
      1 Eletricidade 3.429.652,68
      2 Aquecimento 0,00
      3 Refrigeração 0,00
      4 Vapor 0,00
      5 Total 3.429.652,68

    Informações complementares:

    Os dados de consumo de combustíveis – levantados pela Suzano de forma majoritariamente automatizada – foram convertidos em consumo energético a partir da densidade básica e do poder calorífico inferiores de cada combustível. Nesse sentido, quando disponíveis, foram utilizados os dados contidos na própria ficha de especificações técnicas do combustível utilizado. Quando não disponíveis, foram utilizados os valores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (MME, 2019). Ainda, o indicador considera somente o montante de energia elétrica importado da rede, não contabilizando o valor de energia elétrica produzida internamente.

  • Energia consumida fora da organização

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Indicador 2019
      1 Energia consumida fora da organização, em GJ 9.214.404,36

    Informações complementares:

    Os dados de consumo de combustíveis foram levantados pela Suzano de forma majoritariamente automatizada – a partir de extração de dados via sistemas internos e solicitações de controle a fornecedores e prestadores de serviço –  e foram convertidos em consumo energético a partir da densidade básica e do poder calorífico inferiores de cada combustível. Nesse sentido, quando disponíveis, foram utilizados os dados contidos na própria ficha de especificações técnicas do combustível utilizado. Quando não disponíveis, foram utilizados os valores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (MME, 2019).

    As principais fontes de energia requerida fora da organização estão relacionadas ao consumo de combustíveis para o transporte e a distribuição de insumos e produtos.

  • Energia vendida

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Energia vendida, em GJ 2019
      1 Eletricidade 5.303.394,46
      2 Aquecimento 0,00
      3 Refrigeração 0,00
      4 Vapor 0,00
      5 Total 5.303.394,46

    Informações complementares:

    Os dados de consumo de combustíveis – levantados pela Suzano de forma majoritariamente automatizada – foram convertidos em consumo energético a partir da densidade básica e do poder calorífico inferiores de cada combustível. Nesse sentido, quando disponíveis, foram utilizados os dados contidos na própria ficha de especificações técnicas do combustível utilizado. Quando não disponíveis, foram utilizados os valores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (MME, 2019).

  • Gestão sobre energia nas operações industriais

    Contexto:

    A matriz energética da Suzano é sustentada, majoritariamente, por fontes renováveis como: biomassa composta por cascas, toretes e rejeitos do processo de picagem da madeira; e biomassa líquida, reconhecida como licor negro, responsável pela geração da maior parcela de energia. Ainda, em algumas unidades, já foi implementado o aproveitamento energético de lodo biológico nas caldeiras de biomassa.

    Em algumas unidades produtivas, há excedente na geração de energia elétrica, o que possibilita sua disponibilização na rede nacional (SIN – Sistema Interligado Nacional), contribuindo para a ampliação do grau de renovabilidade da matriz elétrica brasileira.

    Desta forma, reforçamos o comprometimento da organização em otimizar seus processos dentro dos conceitos da bioeconomia.

  • Investimentos sociais por tipo, em %

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Investimentos sociais por tipo 2019 (%)
      1 Total de projetos de investimentos sociais 97,5
      2 Total de doações 2,5
      3 Total 100,0
  • Matriz energética

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Composição da matriz energética da Suzano S.A.¹ 2019 (%)
      1 Porcentagem de energia de fontes não renováveis 11,65
      2 Porcentagem de energia de fontes renováveis 88,35
      3 Total 100,00

    1. O cálculo do total de energia consumida é feito a partir da soma da energia proveniente do consumo de combustíveis de fontes renováveis e não renováveis com a energia consumida, subtraindo-se desse valor o total de energia vendida.

    Informações complementares:

    Em 2019, trabalhamos para a consolidação dos antigos sistemas e processos de contabilização do consumo de combustíveis praticados pela Suzano Papel e Celulose e pela Fibria. Sendo assim, visando à melhoria contínua do processo, espera-se que a empresa adquira precisão cada vez maior das informações relatadas. Nesse sentido, à medida que maiores níveis de precisão forem obtidos, eventuais ajustes dos dados e informações reportados podem ocorrer ao longo dos próximos anos. Ainda, a comparação de valores atuais com valores apresentados nos anos anteriores pelas antigas empresas é imprecisa – em decorrência das diferenças metodológicas – e poderá ocorrer somente a partir de 2021, quando teremos base de comparação já unificada para a Suzano S.A.

    A renovabilidade da matriz energética da Suzano em 2019 se mostrou expressiva, tendo 88,35% de sua composição oriunda de fontes renováveis. As principais fontes de combustíveis renováveis da empresa são a lixívia, a biomassa e o metanol, todos oriundos da madeira de eucalipto gerada a partir de nosso modelo de manejo florestal sustentável. Adicionalmente, para a obtenção da composição de nossa matriz energética, foi considerado que o montante de energia elétrica adquirida da rede pública pela companhia tem 84,2% de sua composição proveniente de fontes renováveis, segundo o estudo de Capacidade Instalada de Geração Elétrica do Balanço Energético Nacional (MCTIC, 2019). Ainda, como geradora de energia, a Suzano também exporta uma grande quantidade de energia elétrica excedente ao Sistema Interligado Nacional, contribuindo para tornar a matriz de geração elétrica brasileira cada vez mais renovável.

    Os dados de consumo de combustíveis foram levantados pela Suzano de forma majoritariamente automatizada, sendo convertidos em consumo energético a partir da densidade básica e do poder calorífico inferiores de cada combustível. Nesse sentido, quando disponíveis, foram utilizados os dados contidos na própria ficha de especificações técnicas do combustível utilizado. Quando não disponíveis, foram utilizados os valores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (MME, 2019).

  • Total de energia consumida

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Total de energia consumida, em GJ¹ 2019
      1 Combustíveis de fontes não renováveis 28.049.637,02
      2 Combustíveis de fontes renováveis 216.521.617,38
      3 Energia consumida 3.429.652,68
      4 Energia vendida 5.303.394,46
      5 Total 242.697.512,61

    1. O cálculo do total de energia consumida é feito a partir da soma da energia proveniente do consumo de combustíveis de fontes renováveis e não renováveis com a energia elétrica consumida, subtraindo-se desse valor o total de energia vendida. Como energia elétrica consumida, considera-se somente o montante de energia que é importado da rede, não contemplando o valor de energia elétrica produzida internamente – já contabilizado nas outras categorias, já que a energia elétrica produzida internamente é gerada, principalmente, a partir da queima de biomassa.

    Informações complementares:

    Em 2019, trabalhamos para a consolidação dos antigos sistemas e processos de contabilização do consumo de combustíveis praticados pela Suzano Papel e Celulose e pela Fibria. Sendo assim, visando à melhoria contínua do processo, espera-se que a empresa adquira precisão cada vez maior das informações relatadas. Nesse sentido, à medida que maiores níveis de precisão forem obtidos, eventuais ajustes dos dados e informações reportados podem ocorrer ao longo dos próximos anos. Ainda, a comparação de valores atuais com valores apresentados nos anos anteriores pelas antigas empresas é imprecisa – em decorrência das diferenças metodológicas – e poderá ocorrer somente a partir de 2021, quando teremos base de comparação já unificada para a Suzano S.A.

    A renovabilidade da matriz energética da Suzano em 2019 se mostrou expressiva, tendo 88,35% de sua composição oriunda de fontes renováveis. As principais fontes de combustíveis renováveis da empresa são a lixívia, a biomassa e o metanol, todos provenientes da madeira de florestas plantadas de forma sustentável. Adicionalmente, como geradora de energia, a Suzano também exporta uma grande quantidade de energia elétrica excedente ao Sistema Interligado Nacional, contribuindo para tornar a matriz de geração elétrica brasileira cada vez mais renovável.

    Os dados de consumo de combustíveis foram levantados pela Suzano de forma majoritariamente automatizada e convertidos em consumo energético a partir da densidade básica e do poder calorífico inferiores de cada combustível. Nesse sentido, quando disponíveis, foram utilizados para o cálculo os dados contidos na própria ficha de especificações técnicas do combustível utilizado. Quando não disponíveis, foram utilizados os valores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (MME, 2019).