Resíduos

  • Disposição de resíduos não perigosos por método nas operações florestais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Disposição de resíduos não perigosos por método, em toneladas - 2019 São Paulo Mato Grosso do Sul Espírito Santo-Bahia Maranhão Total
      1 Reutilização 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      2 Reciclagem 120,54 250,50 65,37 142,67 579,08
      3 Compostagem 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      4 Recuperação (incluindo recuperação de energia) 0,00 153,72 0,00 0,00 153,72
      5 Incineração (queima de massa) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      6 Injeção subterrânea de resíduos 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      7 Aterro 1,23 699,99 77,20 2,13 780,55
      8 Armazenamento no local 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      9 Outros 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      10 Total 121,77 1.104,21 142,57 144,80 1.513,36

    Informações complementares:

    O descarte de resíduos perigosos é feito diretamente pela organização ou por terceiros. Nesse último caso, a Suzano monitora o descarte para garantir que seja feito de forma ambientalmente adequada.

  • Disposição de resíduos não perigosos por método nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Disposição de resíduos não perigosos por método, em toneladas Reutilização Reciclagem Compostagem Recuperação (incluindo recuperação de energia) Aterro Armazenamento no local Outros Total
      1 Suzano 7.317,00 52.962,00 4.939,00 3.872,00 41.087,00 0,00 0,00 110.177,00
      2 Rio Verde 0,00 4.498,04 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 4.498,04
      3 Limeira 43.639,00 10.540,35 79.169,00 0,00 1.524,82 0,00 41.176,00 176.049,17
      4 Jacareí 0,00 79.964,14 0,00 0,00 29.809,00 0,00 0,00 109.773,14
      5 Imperatriz 28.009,79 49.052,90 0,00 0,00 86.770,96 0,00 0,00 163.833,65
      6 Mucuri 36.497,76 2.259,54 0,00 0,00 99.495,04 217.741,19 0,00 355.993,53
      7 Aracruz 0,00 65.006,26 0,00 0,00 58.491,19 0,00 0,00 123.497,45
      8 Facepa Belém 0,00 28,00 0,00 0,00 4.783,58 0,00 411,28 5.222,86
      9 Facepa Fortaleza 0,00 3,80 0,00 0,00 33,88 0,00 0,00 37,68
      10 Três Lagoas 70.144,00 36.505,12 0,00 128.451,00 40.270,00 0,00 0,00 275.370,12
  • Disposição de resíduos perigosos por método nas operações florestais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Disposição de resíduos perigosos por método, em toneladas - 2019 São Paulo Mato Grosso do Sul Espírito Santo-Bahia Maranhão Total
      1 Reutilização 3,73 0,00 0,00 0,00 3,73
      2 Reciclagem 49,46 23,76 0,00 27,69 100,92
      3 Compostagem 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      4 Recuperação (incluindo recuperação de energia) 58,12 175,22 0,00 0,00 233,34
      5 Incineração (queima de massa) 0,00 0,00 0,00 93,79 93,79
      6 Injeção subterrânea de resíduos 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      7 Aterro 0,00 0,00 937,70 0,00 937,70
      8 Armazenamento no local 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
      9 Outros 3,60 0,11 0,00 0,00 3,71
      10 Total 114,91 199,09 937,70 121,48 1.373,18

    Informações complementares:

    O descarte de resíduos perigosos é feito diretamente pela organização ou por terceiros. Nesse último caso, a Suzano monitora o descarte para garantir que seja feito de forma ambientalmente adequada.

  • Disposição de resíduos perigosos por método nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Disposição de resíduos perigosos por método, em toneladas - 2019¹ Reutilização Reciclagem Recuperação (incluindo recuperação de energia) Incineração (queima de massa) Aterro Armazenamento no local Outros Total
      1 Suzano 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 153,40 153,40
      2 Rio Verde 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 39,69 39,69
      3 Limeira 0,00 0,00 8,91 0,00 0,00 13,70 163,80 186,41
      4 Jacareí 0,00 58,46 100,68 0,13 0,00 0,00 0,00 159,27
      5 Imperatriz 0,00 0,00 20,88 0,00 0,00 0,00 167,29 188,17
      6 Mucuri¹ 0,00 6,30 0,00 0,00 69,60 0,00 0,00 75,90
      7 Aracruz¹ 0,00 116,92 0,00 0,00 77,89 0,00 0,00 194,81
      8 Facepa Belém 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 36,07 36,07
      9 Facepa Fortaleza 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 8,55 8,55
      10 Três Lagoas¹ 55,48 11,78 158,56 0,00 8,19 0,00 0,00 234,01

    1. Os resíduos perigosos enviados para aterro das unidades de Mucuri, Aracruz e Três Lagoas tiveram como destino final aterros classe I externos devidamente licenciados para este fim. Além disso, na unidade de Aracruz, resíduos oleosos são comercializados com empresas devidamente licenciadas que promovem o seu co-processamento.

  • Gastos com tratamento e disposição de resíduos nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Gastos com tratamento e disposição de resíduos, em R$ 2019
      1 Suzano/Rio Verde¹ 4.400.000,00
      2 Limeira 5.533.197,74
      3 Jacareí 7.569.509,33
      4 Imperatriz 5.722.531,35
      5 Mucuri 7.457.705,10
      6 Aracruz 5.742.127,29
      7 Facepa Belém 798.868,54
      8 Facepa Fortaleza 21.330,25
      9 Três Lagoas 7.839.241,80
      10 Total 45.063.181,15

    1. A gestão nas unidades de Suzano e Rio Verde é feita de forma conjunta. Por isso, os valores são apresentados de forma consolidada.

  • Geração de resíduos não perigosos nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Geração de resíduos não perigosos, em toneladas 2019
      1 Suzano 110.177,00
      2 Rio Verde 4.498,04
      3 Limeira 176.049,17
      4 Jacareí 109.773,14
      5 Imperatriz 163.833,65
      6 Mucuri 355.993,53
      7 Aracruz 123.497,45
      8 Facepa Belém 5.222,86
      9 Facepa Fortaleza 37,68
      10 Três Lagoas 275.370,12
      11 Total 1.324.452,64
  • Geração de resíduos perigosos nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Geração de resíduos perigosos, em toneladas¹ 2019
      1 Suzano 153,40
      2 Rio Verde 39,69
      3 Limeira 186,41
      4 Jacareí 159,27
      5 Imperatriz 188,17
      6 Mucuri 75,90
      7 Aracruz 194,81
      8 Facepa Belém 36,07
      9 Facepa Fortaleza 8,55
      10 Três Lagoas 234,01
      11 Total 1.276,28

    1. Os resíduos perigosos gerados nas unidades industriais são: Lâmpadas florescentes, pilhas e baterias, resíduos ambulatoriais, produtos químicos e peças e estopas contaminados com óleos e graxas.

  • Gestão sobre resíduos sólidos nas operações florestais

    Temas Materiais Relacionados:

    Contexto:

    A gestão florestal de resíduos na Suzano segue o que está previsto nas leis estaduais, federais e municipais sobre o tema, além dos padrões estabelecidos pelas certificações de manejo florestal FSC® (Forest Stewardship Council®)¹ e PEFC/CERFLOR (Programa Brasileiro de Certificação Florestal) e dos manuais e procedimentos operacionais internos. De forma geral, as unidades fazem uma listagem de itens e verificam em campo a segregação e o armazenamento de cada tipo de resíduo. Sendo assim, empresas terceiras geram relatórios mensais contendo a quantidade de resíduos destinados por tipo e a metodologia aplicada em cada situação, bem como providenciam os certificados de destinação. Há ainda um sistema de controle de licenças relacionadas ao tema, para atendimento de condicionantes nos prazos acordados com os órgãos ambientais competentes.

    É realizada também a logística reversa de pilhas e baterias de máquinas, embalagens de defensivos agrícolas, produtos químicos e lâmpadas, conforme exigido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. Algumas unidades ainda possuem parceria com cooperativas para destinação de resíduos recicláveis, como é o caso das unidades do Maranhão, do Mato Grosso do Sul e de São Paulo.

    1. Certificados de manejo florestal FSC-C110130, FSC-C118283, FSC-C100704, FSC-C009927 e FSC-C155943.
  • Gestão sobre resíduos sólidos nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Contexto:

    A busca pela melhoria contínua também se reflete na gestão de resíduos sólidos nas operações industriais. Comprometidos com a proteção do meio ambiente, seguimos as legislações aplicáveis referentes ao tema, tal como a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

    Todas as nossas unidades possuem planos de gerenciamento de resíduos e procedimentos operacionais específicos sobre o tema. Dessa forma, a gestão dos nossos resíduos tem como foco a redução da geração na fonte e o aumento da reciclagem e reutilização interna. Como resultado, conseguimos a redução do envio de resíduos para aterros industriais próprios e/ou de terceiros. E, para garantir maior conformidade e identificar oportunidades de melhoria, as unidades também são auditadas periodicamente em relação a sua gestão de resíduos sólidos.

    Dentre as iniciativas que a Suzano promove para a gestão ambientalmente adequada de resíduos sólidos, na unidade de Limeira, os resíduos industriais são encaminhados para empresas que realizam compostagem e os transformam em produtos que podem proporcionar ganhos de produtividade em áreas agrícolas. Além disso, as unidades de Jacareí, Três Lagoas e Imperatriz produzem corretivo de acidez do solo a partir de resíduos inorgânicos gerados no processo industrial, como dregs, grits, lama de cal e cinzas. Sendo assim, com o produto obtido, deixamos de comprar calcário no mercado, beneficiando as atividades de silvicultura da companhia. O próximo passo consiste em introduzir matéria orgânica – o organomineral – ao processo, possibilitando ainda mais ganhos ao manejo florestal. O composto organomineral produzido pode ainda ser comercializado no mercado de acordo com regras do Ministério da Agricultura.

    Além dessas iniciativas, nossas unidades exercem o gerenciamento adequado de resíduos perigosos como lâmpadas fluorescentes, baterias, pneus, containers, embalagens de produtos químicos, entre outros, conforme exigido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. Em Belém, através da coleta seletiva, há parceria com cooperativas de reciclagem da região para recebimento dos resíduos, viabilizando os três pilares da Sustentabilidade e permeando o desenvolvimento socioeconômico local.

    Paralelamente a essas atividades, em 2019, a Suzano construiu compromissos públicos em relação a temática de gestão de resíduos sólidos, definindo uma meta de longo prazo específica para a redução de envio de resíduos sólidos industriais para aterros próprios e/ou terceiros, conforme disposto na página “Metas de Longo Prazo” desta Central (item “Resíduos Industriais”).

  • Resíduo enviado para célula de aterro nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Resíduo enviado para célula de aterro, em kg/tonelada em base seca 2019
      1 Suzano 33,00
      2 Rio Verde 0,00
      3 Limeira 0,00
      4 Jacareí 13,14
      5 Imperatriz 75,26
      6 Mucuri 45,80
      7 Aracruz 34,96
      8 Facepa Belém 120,00
      9 Facepa Fortaleza 8,90
      10 Três Lagoas 12,60
  • Total de resíduos enviados a células de aterro nas operações industriais

    Temas Materiais Relacionados:

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Total de resíduos enviados a células de aterro nas operações industriais, em toneladas¹ 2019
      1 Suzano 0,00
      2 Rio Verde 0,00
      3 Limeira 1.524,82
      4 Jacareí 29.809,00
      5 Imperatriz 86.770,96
      6 Mucuri 99.564,64
      7 Aracruz 58.569,08
      8 Facepa Belém 4.783,58
      9 Facepa Fortaleza 33,88
      10 Três Lagoas 40.278,19

    1. Os números contemplam resíduos perigosos e não perigosos.