Metas de longo prazo

Diante da complexidade dos desafios e das oportunidades existentes, a Suzano construiu sua Estratégia de Sustentabilidade de forma colaborativa, considerando a multiplicidade de visões de seus públicos de relacionamento. Assumimos o compromisso de ampliar nosso papel na cadeia de valor e na sociedade por meio de metas de longo prazo, norteando nosso caminho ao longo dos próximos dez anos, período que a Organização das Nações Unidas (ONU) chama de Década da Ação.

Resíduos

Reduzir em 70% os resíduos sólidos industriais destinados para aterros próprios ou terceiros, transformando os em subprodutos, até 2030

Contexto

Os resíduos que hoje geram somente custos e impactos ambientais, podem ter destinações diferentes, viabilizando um universo de possibilidades mais sustentáveis. Eles podem, por exemplo, ser transformados em novos produtos, como corretores de acidez do solo na agricultura, dando maior circularidade à economia e diminuindo a pressão sobre os recursos naturais.

 


Escopo:

A meta considera resíduos inorgânicos industriais não perigosos, como grãos e lama de cal, e resíduos orgânicos, como lodo primário e biológico.

Baseline:

44,3 kg/t¹ (ano: 2018²)

Horizonte:

Reduzir a 13,3 kg/t o envio de resíduos sólidos industriais para aterros até 2030.


Resultados em 2020:

Reduzimos para 31,7 kg/t o volume total de resíduos sólidos industriais enviados para aterros, o que representa um avanço de 40,6% com relação ao baseline da meta. Individualmente, as unidades de Limeira e Jacareí destacam-se por não terem enviado resíduos para aterro. Além disso, investimos R$ 72 milhões na construção de centrais de tratamento de resíduos nas unidades de Três Lagoas, que já opera em plena capacidade desde o final de 2020, e Imperatriz.

Acompanhamento do KPI:

2018 2019 2020
Resíduos industriais enviados a aterro (kg/t) 44,3 37,0 31,7

O que faremos em 2021:

O resultado esperado é reduzir a 28,05 kg/t o envio de resíduos para aterros, o que representará um avanço de 51% com relação ao baseline da meta (2018). Para alcançar esse objetivo iniciaremos no primeiro trimestre as operações da central de tratamento de resíduos de Imperatriz, possibilitando a transformação dos materiais gerados em insumos que proporcionam ganhos de produtividade em áreas agrícolas.

Além disso, desenvolveremos estudos de engenharia e de viabilidade técnica- econômica nas unidades Mucuri (BA) e Suzano (SP), visando manter os resíduos gerados nessas unidades em seu mais alto nível de utilidade.

 

¹ O KPI da meta é medido por meio da divisão do volume em quilos (kg) de resíduos sólidos industriais enviados para aterros próprios e/ou terceiros pela produção de celulose e papel, em toneladas (t).
² No momento da criação da meta, em 2019, ainda não tínhamos dados relativos ao ano em vigor inteiro. Sendo assim, foram utilizados dados de 2018 para a composição da meta, estabelecendo um ciclo de 12 anos para seu atingimento.