Uso da Terra

Informações sobre a gestão e o uso da terra, incluindo premissas de relacionamento com fornecedores e com comunidades.

Indicadores relacionados
  • Filtrar por categoria

  • Gestão do uso da terra

    Temas Materiais Relacionados

    Contexto:

    A Suzano reconhece o valor de suas florestas e está comprometida com um manejo florestal responsável, que respeita direitos dos povos indígenas, comunidades tradicionais e locais, funcionários, fornecedores e demais partes envolvidas na operação.

    Os compromissos assumidos são expostos e formalizados em um conjunto de Políticas da Suzano. Dentre elas: Política Corporativa de Gestão Ambiental; Política de abastecimento de madeira; Política de Gestão Integrada de Riscos e Política de Direitos Humanos, Política de Investimentos Socioambientais bem como Estratégia de Sustentabilidade da Suzano.

    Na Política de Suprimento de Madeira, a Suzano reforça o compromisso de estabelecimento de suas plantações exclusivamente em áreas já anteriormente antropizadas por outros usos, cuja conversão não tenha ocorrido sob sua responsabilidade direta ou indireta, se comprometendo com o desmatamento zero.

    Da mesma forma, a empresa também se compromete a comprar madeira de plantações estabelecidas exclusivamente em áreas já anteriormente antropizadas ou que a conversão, se houver, não tenha ocorrido após a publicação do presente documento e, tampouco, tenha sido sob sua responsabilidade direta ou indireta.

    A madeira utilizada na produção da Suzano é de origem plantada e, em sua maioria, proveniente de áreas próprias, garantindo que:

     

    • Cumpra toda a legislação aplicável;
    • Venha exclusivamente de plantações florestais;
    • Respeite o direito à propriedade, posse pacífica e uso da terra;
    • Não comprometa áreas reconhecidas de alto valor de conservação;
    • Respeite os direitos humanos;
    • Garanta os direitos dos povos indígenas e comunidades tradicionais;
    • Garanta os direitos dos trabalhadores, incluindo questões relacionadas à saúde e segurança, seguindo os princípios fundamentais da Organização Internacional do Trabalho.
    • Não conversão de áreas nativas em plantações comerciais de madeira.

     

    No caso de madeira de terceiros, os princípios acima também são observados na área contratada desde a execução do contrato, contemplando as operações de colheita e transporte da madeira, e considerando que o plantio regular é pré-requisito do contrato.

    Considerando essas premissas, para o abastecimento de madeira a Suzano pratica:

     

    1. Análise de documentos que comprovem direitos, uso e não conversão da terra. Havendo alguma restrição, ela será devidamente tratada antes da formalização do contrato;
    2. Análise dos limites de uso da terra com prioridade para conservação, comunidades indígenas e tradicionais oficialmente demarcadas, para estabelecer um plano de ação voltado para a proteção dessas áreas;
    3. Visitas de campo para demonstrar conformidade documental.

     

    Para os imóveis próprios e arrendados, a Suzano aplica:

     

    1. Previamente à operação, análise de documentos que comprovem direitos, uso do solo e não conversão.
    2. Permissões de plantio e colheita.
    3. Conformidade das atividades operacionais na área aos direitos humanos e legislação laboral aplicável.
    4. Definição de controles para mitigar os impactos socioambientais.
    5. Avaliação de campo para inclusão de áreas no escopo da certificação FSC® (Forest Stewardship Council®)1 e PEFC/Cerflor (Programa Brasileiro de Certificação Florestal), demonstrando conformidade com os princípios desses mecanismos de certificação.

     

    Todos os produtores fornecedores da Suzano devem ter suas propriedades regularizadas de acordo com as normas do Código Florestal e legislações estaduais, e também são incentivados a realizar a recuperação de áreas naturais. A Suzano atua compartilhando conhecimento e doando mudas nativas para esta iniciativa.

    A Suzano incentiva seus fornecedores a buscarem a certificação e avaliarem a procedência da matéria-prima (madeira). A fim de avaliar as áreas de produtores florestais e fornecedores de madeira, a Suzano estabelece um sistema de due diligence, um conjunto de atividades de monitoramento das fontes de matéria-prima (madeira) em atendimento a requisitos do FSC®2 e do PEFC/Cerflor e legislações aplicáveis. O Sistema de Due Diligence (Programa de Verificação) atende aos requisitos: definição de responsabilidades, procedimentos, treinamentos, lista de fontes de matéria-prima (madeira), compromisso de políticas públicas de não adquirir madeira ilegal e ter sistema de recebimento e tratamento de reclamações sobre madeira de fornecedores. O programa cobre 100% dos fornecedores de madeira. Os contratos com os fornecedores incluem cláusulas de cumprimento da legislação em vigor, ainda que a Suzano os auxilie a regularizar sua situação antes de firmar a parceria.

    Todo esse controle é avaliado por clientes, investidores, FSC® e Cerflor e auditores internos.

    Para monitorar as regulamentações brasileiras nos níveis municipal, estadual e federal, e manter contato com as partes interessadas para mapeamento de riscos e tomada de decisões, a empresa conta com o apoio de um software, denominado Ambito.

    A avaliação, o monitoramento e o cumprimento de questões regulatórias também são avaliados na Gestão Integrada de Riscos da Suzano e atendem aos mais rígidos mecanismos de certificação voltadas ao tema – FSC® e PEFC/Cerflor, que atestam a boa conduta da empresa no desenvolvimento de produtos florestais, respeitando os aspectos ambientais, sociais e econômicos da região. Nestes casos, a empresa é auditada anualmente, com base em padrões de desempenho ambiental, social e econômico pré-estabelecidos e públicos.

    A estratégia de relacionamento da Suzano busca garantir a sustentabilidade socioambiental e a legitimidade dos negócios, fortalecendo as interações de longo prazo com as comunidades vizinhas e demais públicos de relacionamento, integrando seus interesses no planejamento e na gestão das operações da empresa.

    Como parte da estratégia social da Suzano, o investimento é um instrumento de geração de valor, tanto para o negócio quanto para as comunidades do entorno, focado, principalmente, nos seguintes eixos estruturais: Geração de Trabalho e Renda; Educação; Cultura; Esporte; Meio ambiente e Saúde.

    Os processos de relacionamento e participação da comunidade são:

     

    • Engajamento comunitário e Investimento Social: direcionado às comunidades prioritárias, mais impactadas pelas operações da empresa. É uma ferramenta de relacionamento estruturada de longo prazo, na qual a empresa e as comunidades constroem em conjunto planos e ações para atender às demandas de desenvolvimento local e regional, por meio dos programas sociais com caráter estruturante
    • Diálogo Operacional: ferramenta de relacionamento em que a Suzano consulta estabelece acordos com as comunidades do entorno para minimizar e mitigar os impactos das operações locais.
    • Diálogo Social: ferramenta de relacionamento realizada por meio de reuniões semestrais com representantes das comunidades, abordando temas relacionados ao Meio Ambiente; Geração de Trabalho e Renda; Educação; Impactos nas operações, entre outros.
    • Agenda Presencial: consiste em visitas de representantes da Suzano às comunidades de baixa prioridade anualmente.
    • Gestão de ocorrências: é o processo de atendimento às ocorrências e demandas da comunidade relacionadas às atividades operacionais da empresa. Os principais canais de comunicação utilizados são: 0800 Fale com a Suzano e Diálogo Operacional.

     

    Mais informações sobre a estratégia e atuação social podem ser encontradas no Relatório Anual e em demais indicadores de Desenvolvimento Social nesta Central.

    1. Códigos de Licença: Manejo Florestal BA – FSC-C155943; Manejo Florestal ES – FSC-C110130; Manejo Florestal MS – FSC-C100704; Manejo Florestal MA – FSC-C118283; Manejo Florestal SP – FSC-C009927.
    2. Códigos de Licença: Cadeia de Custódia – Unidades no Brasil – FSC-C010014; Cadeia de Custódia – Europa, América, China e Suiça – FSC-C012430; Cadeia de Custódia – Centro de Distribuição no Brasil e Argentina – FSC-C003231.