Água

Garantir a disponibilidade hídrica e o acesso à água com qualidade para os diferentes usuários das bacias hidrográficas em que operamos, a partir de educação ambiental, proteção de nascentes, monitoramentos hídricos, redução de captação, análise de riscos e mitigação de impactos decorrentes de nossas operações sobre esse recurso.

Indicadores relacionados
  • Filtrar por categoria

  • Filtrar por tag

  • Demanda química de oxigênio (DQO) em efluentes nas operações industriais, em kg/t

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Demanda química direta de oxigênio (DQO) em efluentes por unidade (kg/t) 2019 2020
      1 Suzano 8,34 9,70
      2 Rio Verde 2,54 2,90
      3 Limeira 4,54 3,30
      4 Jacareí 7,48 5,40
      5 Imperatriz 2,78 3,61
      6 Mucuri 11,84 13,33
      7 Aracruz 8,07 7,84
      8 Belém 2,26 13,40
      9 Maracanaú (Fortaleza) 0,02 0,02
      10 Três Lagoas 7,33 7,94

    Informações complementares:

    Em 2020, houve um aumento de 19% na carga bruta de Demanda Química de Oxigênio (DQO) de efluentes lançados, em relação a 2019. Isso reflete o aumento de produção de 9,9% no mesmo período, concentrado principalmente nas Unidades Imperatriz, Mucuri e Aracruz.

    Em termos específicos (kg de DBO por tonelada de produto), a Suzano teve um aumento de 8,4%, passando de 6,33 kg/t, em 2019, para 6,86 kg/t, em 2020. O valor está abaixo da meta estabelecida nas unidades industriais (7,00 kg/t). Mesmo com o aumento, a Suzano segue dentro dos padrões internacionais de referência (entre 8,00 e 23,00 kg/t), estabelecidos pelo IPPC (Integrated Pollution, Prevention and Control 2015 – European Commission).