Desenvolvimento Social

Garantia do desenvolvimento local e territorial de maneira conjunta e participativa, em parceria com comunidades, instituições de apoio e movimentos sociais, a partir de projetos de educação, geração de renda e valorização cultural; do fortalecimento da relação com as comunidades locais e tradicionais; e da integração dos interesses desses diferentes elos na condução e gestão da companhia.

Indicadores relacionados
  • Filtrar por categoria

  • Filtrar por tag

  • Gestão do relacionamento com comunidades locais

    Contexto:

    Para viabilizar toda a sua estratégia de atuação social, a Suzano conta com uma robusta estrutura de governança, composta por: uma Diretoria Executiva de Sustentabilidade, com reporte direto ao Diretor Presidente da Companhia e responsável por implementar ações relacionadas ao tema no dia a dia, em parceira com as demais diretorias; e por um Comitê de Sustentabilidade, que assessora a empresa a pensar estrategicamente no tema. Dentro da Diretoria Executiva de Sustentabilidade, existe a gerência de Desenvolvimento Social, responsável pela implementação da Estratégia Social.

    Assim, a gestão do relacionamento com as comunidades situadas nas regiões de operação da Suzano é de responsabilidade da Gerência de Desenvolvimento Social, sendo realizada por meio de uma série de ferramentas e procedimentos integrados no Sistema de Gestão da empresa, tais como: Manual de Gestão de Relacionamento, Procedimento de Relacionamento com Comunidades Urbanas e Rurais, Procedimento de Diálogo Operacional, Procedimento de Gestão de Ocorrências de Partes Interessadas, Procedimento de Identificação e Avaliação de Aspectos e Impactos Sociais e Procedimento de Gestão de Demandas Sociais.

    A extensa área de atuação da empresa se caracteriza por diferentes realidades econômicas, sociais e culturais, bem como diferentes históricos de relacionamentos, o que gera diferentes níveis de demandas e complexidade de relacionamento.

    Para entender a realidade e o contexto social das áreas de atuação da empresa, todas as comunidades localizadas no interior do perímetro estabelecido para as Áreas Diretamente Afetadas (raio de até 3 km de distância a partir dos limites das unidades de manejo florestal) são identificadas e caracterizadas por meio de indicadores socioeconômicos e impactos sociais provocados pelo manejo florestal da Suzano. Essa identificação e caracterização das localidades é realizada por meio do Inventário Social, a partir de observação direta nas localidades e de entrevistas com moradores locais.

    Diante desse cenário, a empresa estruturou uma Matriz de Priorização, ferramenta empregada para auxiliar o planejamento de todo o processo de relacionamento com comunidades, de forma a permitir tomadas de decisões com critérios explícitos para atendimento. A priorização é feita por localidade, para cada Unidade, considerando três dimensões: Vulnerabilidade socioeconômica; Impacto gerado pelas atividades da Empresa; e Importância para a Empresa. A partir dessa matriz de priorização, é estabelecido o modelo de relacionamento da Suzano com comunidades, baseado nos seguintes processos:

     

    Engajamento

    É a principal ferramenta de relacionamento com as comunidades vizinhas consideradas prioritárias. Representa um relacionamento estruturado de maior profundidade, inclusivo e contínuo, que estabelece a Suzano como parceira do desenvolvimento local. A sua metodologia considera as especificidades das diferentes realidades e partes interessadas envolvidas, privilegiando e valorizando o protagonismo de toda a comunidade, o desenvolvimento de lideranças legítimas, a construção de capital social e o resgate da cidadania e da autoestima. Além disso, incentiva e fortalece as redes locais, de forma a promover o diálogo e a solidariedade entre as partes. Conforme a nossa Política de Investimentos Socioambientais e Doações, os investimentos socioambientais da Suzano devem ser resultantes dos processos de engajamento comunitário.

     

    Diálogo Operacional

    Ferramenta de relacionamento na qual a Suzano consulta e estabelece acordos com comunidades vizinhas para minimizar e mitigar os impactos das operações locais sobre elas. A empresa organiza reuniões com as comunidades vizinhas antes das operações florestais e, nesses momentos de discussão, expõe todas as ações que se compromete a realizar para evitar ou minimizar os impactos negativos das operações, além de ouvir as demandas e sugestões da comunidade.

     

    Diálogo Social

    Ferramenta de relacionamento utilizada em comunidades rurais e urbanas impactadas pelas operações da companhia, selecionadas com base em fatores de relevância para o negócio. O Diálogo Social é realizado por meio de reuniões com frequência mínima semanal, para discutir temas específicos previamente selecionados por representantes das comunidades. As discussões podem abranger questões relacionadas ao Meio Ambiente, Geração de Trabalho e Renda, Educação, Impactos nas operações, entre alguns outros temas.

     

    Conselhos Comunitários

    A Suzano tem incentivado a atuação por meio dos Conselhos Comunitários, que são espaços de diálogo criados entre a companhia e demais atores sociais (sociedade civil organizada, grupos não formalizados, população em geral) de localidades próximas às suas operações. Esse envolvimento tem por objetivo promover o conselho como principal canal de comunicação direto entre comunidade e empresa, visando facilitar o acesso e o entendimento de questões, temas e informações de interesse comum relacionados às atividades da Suzano (especialmente para aspectos de segurança, saúde e meio ambiente). Além disso, a atuação dos conselhos visa construir uma agenda positiva com ações sociais e investimentos estruturantes que impulsionem o desenvolvimento socioeconômico, tendo como premissa o aumento do capital social e a articulação das ações estratégicas com as políticas públicas com enfoque territorial.