Desenvolvimento Social

Garantia do desenvolvimento local e territorial de maneira conjunta e participativa, em parceria com comunidades, instituições de apoio e movimentos sociais, a partir de projetos de educação, geração de renda e valorização cultural; do fortalecimento da relação com as comunidades locais e tradicionais; e da integração dos interesses desses diferentes elos na condução e gestão da companhia.

Indicadores relacionados
  • Filtrar por categoria

  • Filtrar por tag

  • Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT)

    Contexto:

    O Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT) foi estruturado como parte da estratégia de engajamento da Suzano com as comunidades rurais vizinhas, com o objetivo de “participar do desenvolvimento territorial por meio do diálogo com as comunidades, fortalecendo suas organizações e redes, tendo como premissa os princípios agroecológicos”. O foco do Programa está no apoio às atividades agrícolas e pecuárias das comunidades, por meio de um serviço qualificado de Assistência Técnica e Extensão Rural (realizado por equipes técnicas) e por investimentos em equipamentos e insumos.

     

    Os objetivos específicos são

    • capacitar os participantes para equacionarem suas demandas sociais, econômicas e ambientais;
    • apoiar/fomentar a utilização de tecnologias sociais adaptadas ao contexto de cada região de atuação do Programa;
    • aumentar a renda média (monetária e não monetária) das famílias participantes;
    • estabelecer modelo de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) que possibilite a multiplicação de conhecimentos entre as famílias e associações;
    • promover ações de fortalecimento de Segurança e Soberania Alimentar;
    • contribuir no desenvolvimento de ações para fortalecimento do abastecimento local de alimentos;
    • estabelecer parcerias institucionais e apoiar o desenvolvimento de políticas públicas nas regiões de atuação.

     

    O PDRT tem uma governança com participação direta das lideranças e representantes das associações comunitárias, para assegurar transparência e participação efetiva não só na definição das estratégias de desenvolvimento do Programa, mas também nos processos de tomada de decisão, de monitoramento e de avaliação de resultados.

     

    Destaques e conquistas ao longo de 2020

    Os resultados têm possibilitado a formação de pessoas, a geração de trabalho e renda e o abastecimento do território com alimentos agroecológicos saudáveis, a partir do uso sustentável dos recursos naturais. O PDRT acontece nas comunidades rurais (agricultores familiares, assentados, quilombolas, indígenas) prioritárias de relacionamento para Suzano.
    Atualmente, o programa ocorre em 28 municípios de sete estados brasileiros, beneficiando 111 associações e 3.613 famílias. Entre os nossos resultados, citamos:

    • promoção do protagonismo das famílias e associações por meio das metodologias de formação nos eixos de produção, extrativismo, comercialização e gestão, para o fortalecimento de cadeias produtivas e construção de autonomia;
    • fortalecimento dos circuitos de comercialização com o objetivo de promover o abastecimento local;
    • ampliação do fornecimento de alimentos do programa para os restaurantes industriais da Suzano;
    • fomento ao acesso dos grupos às Políticas Públicas nas áreas de produção e geração de renda – mais de R$ 1 milhão comercializados via Programa de Aquisição de Alimentos (CONAB);
    • publicação do case “Do conflito ao Desenvolvimento: o caminho do diálogo na Rede América”, resultado do IV Prêmio Latino-Americano de Comunidades Sustentáveis;
    • R$ 36,7 milhões em produtos comercializados (volume total de vendas em 2020) e mais de 20 mil toneladas de alimentos produzidos por famílias participantes do programa.

     

    Ainda, durante a pandemia do Covid-19, os agricultores participantes do PDRT implantaram a venda delivery, tendo como resultados:

    • mais de 30 mil cestas básicas entregues;
    • mais de R$ 1 milhão em receita bruta total;
    • quase 300 toneladas de alimentos comercializados;
    • 310 agricultores familiares mobilizados em 38 comunidades rurais.

     

    Desafios

    • Estruturação, fortalecimento e ampliação da rede de parcerias para qualificar e ampliar a escala das ações – ampliação da rede de colaboração e articulação territorial para sensibilizar novos parceiros e novas fontes de investimento para os grupos.
    • Manutenção do apoio técnico remoto durante o contexto de pandemia.
    • Fomento à formação e ao fortalecimento institucional visando a autonomia (técnica e financeira) dos negócios sociais e sua replicação em larga escala.
    • Fomentar a equidade de gênero, raça e geração.
    • Fortalecer as organizações sociais e qualificar agentes multiplicadores nas comunidades e municípios prioritários.

     

    Expectativa

    • Conexão do PDRT com o Programa Suzano de Educação.

    Mudar visualizacão:

    • wdt_ID Consolidação dos resultados do projeto, por região 2019 - Número de participantes² 2019 - Quantidade de alimento produzida (ton) 2019 - Receita total gerada (R$) 2019 - Receita mensal média por participante (R$/família)³ 2020 - Número de participantes² 2020 - Quantidade de alimento produzida (ton) 2020 - Receita total gerada (R$) 2020 - Receita mensal média por participante (R$/família)³
      1 São Paulo 278 2.549 3.465.473,63 1.169,19 234 1.531 3.180.703,10 1.210,31
      2 Mato Grosso do Sul 1.065 4.483 22.065.501,23 1.726,57 916 5.477,00 7.675.119,05 1.197,74
      3 Espírito Santo 656 3.691 7.742.370,07 1.030,67 639 3.491,27 11.086.690,77 1.464,17
      4 Bahia 1.300 8.332 12.001.965,26 769,36 1.411 8.810 13.951.212,53 919,78
      5 Maranhão 632 1.084 4.260.965,50 823,85 413 803 842.963,50 225,15
      6 Total 3.931 20.139 49.536.275,69 1.125,11 3.613 20.112 36.736.688,95 1.034,25
    1. Em 2019, para o cálculo da renda média, foram consideradas 3.669 famílias, sendo: São Paulo – 247; Mato Grosso do Sul – 1.065; Espírito Santo – 626; Bahia – 1.300; e Maranhão – 431. 2. Considera-se como participante o número de famílias inscritas no Programa. 3. Em 2020, para cálculo da renda média, foram consideradas 2.960 famílias, sendo: São Paulo – 219; Mato Grosso do Sul – 534; Espírito Santo – 631; Bahia – 1.264; e Maranhão – 312.

    Informações complementares:

    No PDRT, o protagonismo e a liderança que as mulheres possuem na agricultura familiar refletem-se também em seus papeis à frente de associações e cooperativas. No Programa, as mulheres conduzem os processos de produção, de comercialização e de gestão das unidades familiares. Além disso, elas fortalecem as ações por demandas sociais, como melhoria dos serviços de educação, saúde, cultura e lazer.

    O Plano de Transição Agroecológica, conduzido pelo PDRT, tem sido uma ferramenta fundamental para proporcionar apoio às mulheres no desenvolvimento de suas atividades diárias nas comunidades.
    Ainda sim, existe o desafio de promover a equidade de gênero e a integração da juventude nos processos de desenvolvimento agrícola e rural.

    O programa reestruturou o seu processo de cadastramento para priorizar entrada das mulheres e fomentar a sua liderança nas associações e cooperativas.

    Além disso, ao fortalecer as atividades de agricultura e pecuária, no atendimento direto a 3.613 famílias, o PDRT cumpre papel importante de fomento à transição agroecológica dos sistemas de produção. Isto se dá devido ao apoio com investimentos (sementes, mudas, adubos, máquinas e equipamentos) e acompanhamento técnico contínuo às famílias, por meio de equipes técnicas. O acompanhamento técnico, por sua vez, é uma questão que preenche um hiato no sistema de crédito no segmento da população rural, uma vez que proporciona geração de trabalho e renda, sob uma perspectiva inovadora que tem estimulado o retorno e a permanência das famílias no campo.