Excelência Operacional e Ecoeficiência

Ampliação da nossa produtividade e garantia de níveis excelentes de eficiência em nossas operações, com reaproveitamento contínuo de recursos e resíduos e aumento da geração e exportação de energia de fonte renovável, além da qualidade dos nossos processos.

Indicadores relacionados
  • Filtrar por categoria

  • Filtrar por tag

  • Gestão sobre resíduos sólidos nas operações industriais

    Contexto:

    Todas as unidades industriais da Suzano possuem planos de gerenciamento de resíduos e procedimentos operacionais específicos, que adotam o conceito dos 4 R’s (repensar, reduzir, reutilizar e reciclar). Dessa forma, a gestão dos resíduos tem como foco a redução da geração na fonte e o aumento da reciclagem e reutilização interna. Como resultado, a empresa consegue a redução do envio de resíduos para aterros industriais próprios e/ou de terceiros. E, para garantir maior conformidade e identificar oportunidades de melhoria, as unidades também são auditadas periodicamente em relação a sua gestão de resíduos sólidos.

    Dentre as iniciativas que a Suzano promove para a gestão ambientalmente adequada de resíduos sólidos, na unidade de Limeira, os resíduos industriais são encaminhados para empresas que realizam compostagem e os transformam em produtos que podem proporcionar ganhos de produtividade em áreas agrícolas. Além disso, as unidades de Jacareí, Três Lagoas e Imperatriz produzem corretivo de acidez do solo a partir de resíduos inorgânicos gerados no processo industrial, como dregs, grits, lama de cal e cinzas. Sendo assim, com o produto obtido, a empresa deixa de comprar calcário no mercado, beneficiando as atividades de silvicultura da companhia. O próximo passo consiste em introduzir matéria orgânica – o organomineral – ao processo, possibilitando ainda mais ganhos ao manejo florestal. O composto organomineral produzido pode ainda ser comercializado no mercado de acordo com regras do Ministério da Agricultura.

    Após a divulgação das Metas de Longo Prazo (MLPs) da Suzano, ocorrida em fevereiro de 2020, a meta de redução do envio específico de resíduos não perigosos e não inertes (classe 2A) para aterro em 70% até 2030, foi desdobrada para cada unidade industrial e a governança foi integrada à rotina de gestão da Suzano.

    A partir da divulgação desse compromisso, a empresa definiu uma governança para gestão do tema: foram estabelecidas metas anuais e mensais para cada unidade industrial e os resultados são acompanhados mensalmente junto à Diretoria de Celulose, Engenharia e Energia. A companhia conta ainda com o Grupo de Trabalho de Meio Ambiente Industrial (GTMAI), que avalia os resultados mensalmente.

    Cada operação industrial monitora os indicadores de resíduos semanalmente junto à Diretoria e Gerência Industrial e aos executivos. Os resultados são divulgados nas reuniões mensais de resultados a todos os colaboradores da unidade, mensalmente, para o engajamento de todos no tema.

    Ainda em 2020 foram mapeados projetos de melhoria em cada unidade industrial a serem implementados para o atingimento da meta até 2030. Para a construção desse material, foi realizada pesquisa das melhores práticas adotadas na Suzano, ferramentas de gestão (tais como Six Sigma e PDCA) e projetos de inovação.