Manejo Florestal

Planejamento e manejo florestal sustentáveis que favoreçam a produtividade dos plantios, o controle de doenças e pragas, a manutenção da biodiversidade, a preservação ambiental e a prestação de serviços ecossistêmicos – gerando um ciclo virtuoso.

Indicadores relacionados
  • Filtrar por categoria

  • Filtrar por tag

  • Otimização de oportunidades de serviços ecossistêmicos fornecidos por áreas florestais

    Dimensão SASB

    Contexto:

    A Suzano norteia suas decisões operacionais de modo a manter a integridade dos serviços ecossistêmicos do território onde atua. Para os serviços ecossistêmicos fornecidos pelas áreas florestais da Suzano, seguem alguns exemplos de estratégias estabelecidas pela companhia que favorecem sua disponibilidade, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e bem-estar da sociedade:

     

    Regulação do clima: Ao conservar e restaurar florestas nativas e manejar suas florestas plantadas com base no modelo de Manejo Sustentável, de forma a manter uma geração contínua de biomassa, a Suzano está promovendo remoções de CO2 da atmosfera. Nesses casos, fica caracterizada como uma externalidade positiva em relação à regulação do clima global e, em função do tamanho da base florestal de mais de 2 milhões de hectares, esse tipo de externalidade se torna ainda mais significativa.
    Anualmente, a Suzano calcula o volume de emissões e remoções e, recentemente, assumiu o compromisso de “Remover 40 milhões de toneladas de CO2 da atmosfera até 2030”, atuando constantemente para reduzir as suas emissões e ampliar as suas remoções.

    Para maiores informações sobre a meta de longo prazo assumida, clique aqui.

     

    Provisão e regulação da qualidade da água: Nas florestas plantadas é adotado o cultivo mínimo no momento do plantio, visando o menor revolvimento e compactação do solo e, durante a colheita, os resíduos florestais gerados, como casca, folhas, galhos e ponteiras, são mantidos no interior dos talhões, compondo uma camada de matéria orgânica que nutre e protege o solo. A abertura e manutenção de estradas é realizada por meio de técnicas de construção de camaleões e/ou saídas de água, caixas de contenção, manutenção da vegetação de taludes, recuperação de áreas expostas, etc. Ainda, o plantio é realizado em nível, ou seja, perpendicular à inclinação do terreno. Este conjunto de técnicas favorece a maior infiltração de água no solo, evita a erosão e, consequentemente, o carreamento de sedimentos, detritos e poluentes que possam degradar a qualidade da água dos rios.

    O acesso à água está no cerne do desenvolvimento sustentável, sendo fundamental para a sobrevivência das pessoas, dos negócios e do planeta. As plantações de eucalipto, as florestas nativas e as fábricas da Suzano dependem diretamente da água, e o esforço de cuidar desse recurso é responsabilidade de todos. Sendo assim, a Suzano assumiu, no início de 2020, o compromisso de “aumentar a disponibilidade hídrica em 100% das bacias hidrográficas críticas até 2030”. As bacias hidrográficas críticas são aquelas sujeitas à falta de disponibilidade de água devido a características naturais (tais como clima e tipo de solo) e tipo de uso da terra. A Suzano se concentrará em bacias hidrográficas onde houver ocupação significativa pela empresa (igual ou superior a 30%), para que as práticas adotadas pelo manejo florestal possam ter efeito e gerar os melhores resultados para reverter a criticidade dessas bacias.

    Desta forma, o manejo florestal adequado promove diversos serviços ecossistêmicos, dentre eles, o de provisão de água doce e regulação da qualidade da água, que beneficiam não somente a produção florestal, como o abastecimento de água de qualidade aos diferentes usuários das bacias em que atuamos.

    Para maiores informações sobre a meta de longo prazo assumida, clique aqui.

    Para maiores informações sobre a gestão da água e efluentes na floresta, clique aqui.

     

    Polinização e Provisão de Alimentos: As florestas plantadas são enormes pastos apícolas, sendo assim uma boa oportunidade para a apicultura. A Suzano criou e atualmente investe no Programa Colmeias, que tem como objetivo promover o fortalecimento da cadeia apícola nas regiões de atuação da empresa, contribuindo para a geração de renda, melhoria da qualidade de vida e para conservação do meio ambiente. Em 2020, a produção de mel foi de 1200 toneladas e gerou mais de R$ 11 milhões, movimentando a economia dos municípios. Outra estratégia que favorece a polinização e a sobrevivência das abelhas é o Manejo Integrado de Pragas e Doenças, o qual é norteado pelas atividades de detecção, monitoramento e combate. Tais atividades são realizadas de forma a assegurar o uso mínimo e racional dos agroquímicos, buscando sempre a utilização, quando viável, de outras táticas de manejo como resistência genética, controle biológico e gestão do risco, com grande foco em atuação preventiva.

    Além disso, o Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT) participa do desenvolvimento dos territórios de influência da Suzano por meio do diálogo com as comunidades rurais vizinhas. Seu objetivo é potencializar as atividades de cada território com o apoio da assistência técnica em três eixos: gestão, produção e comercialização das associações e das cooperativas participantes. O programa segue princípios agroecológicos, fomenta o acesso a políticas públicas e melhora a qualidade de vida dos produtores rurais. Este programa já atendeu mais de 4 mil famílias na produção agrícola agroecológica e de leite e derivados em mais de 100 comunidades, gerando mais de 20 mil toneladas de alimentos até o momento.

    Saiba mais sobre os programas Colmeias e PDRT na página referente ao tema “Desenvolvimento Social”.

     

    Serviços Culturais e Recreacionais: Desde 1999, a Suzano fundou e mantém o Instituto Ecofuturo, uma Organização Não-Governamental, cujo objetivo é transformar a sociedade por meio da conscientização sobre a conservação ambiental. Entre as principais iniciativas, está a gestão do Parque das Neblinas, onde são desenvolvidas atividades de educação ambiental, pesquisa científica, ecoturismo, manejo e restauração florestal e participação comunitária. O parque já recebeu mais de 50 mil visitantes. Dentre as atividades de ecoturismo, são oferecidas trilhas autoguiadas e monitoradas, canoagem contemplativa, cicloturismo e espaço para acampamento em meio à mata preservada.

    A visitação no Parque das Neblinas tem foco na sensibilização ambiental, proporcionando um ambiente de contato direto com a Mata Atlântica e oferecendo aos visitantes atividades que dão a oportunidade de refletir sobre a importância da conservação da natureza.

    Para maiores informações sobre o Parque das Neblinas, clique aqui:

    Em 2020, a Suzano trabalhou intensamente o tema de Serviços Ecossistêmicos relacionados ao Carbono, Água e Biodiversidade. Esses recursos naturais, por serem elementos intrínsecos ao nosso negócio, são considerados um ativo da empresa com valor agregado, ou seja, são itens que compõem o nosso capital natural. A ampliação e evolução do entendimento deste tema fazem parte da nossa estratégia de sustentabilidade, uma vez que a integridade dos serviços ecossistêmicos é condição fundamental para o cumprimento dos compromissos de sustentabilidade que assumimos com a sociedade a partir do nosso negócio.

    A fim de gerar e compartilhar valor a partir do tema Serviços Ecossistêmicos, bem como torná-lo cada vez mais permeável em toda a nossa empresa, em 2021 iniciaremos a implantação de uma estratégia de atuação estruturada. Em curto prazo iremos desenvolver a valoração do nosso capital natural, o que proporcionará maior compreensão e entendimento sobre onde estamos, sob a ótica da economia regenerativa. Em médio prazo, isto nos permitirá a introdução deste conceito nos processos chave da empresa, de forma consistente e estruturada, para que então possamos monitorar e melhorar sua performance baseado em uma mesma metodologia.